+

Folder
digital

Notícia

 

06/08/2019
Tendências para o despacho aduaneiro em 2019

Afinal, quais são as principais tendências do despacho aduaneiro? Será que as inovações tecnológicas promoverão mudanças ainda mais profundas? Existem pontos que podem alterar completamente o rumo dos negócios?

Ao pensar nessas e em outras questões de extrema importância para o setor, preparamos este artigo especial. Durante a leitura do texto você encontrará informações relevantes sobre o momento atual da atividade e as perspectivas para o futuro.

O que é e qual a importância do despacho aduaneiro nos tempos atuais?

Como esse é um tema que exige profunda experiência, conversamos com Julien Fauquenoy, que é CEO da Costa Porto, organização que atua com excelência nos âmbitos do comércio exterior e da logística internacional desde 1920. Atualmente, a empresa lida com demandas de outras indústrias, como agronegócio e óleo e gás, além de oferecer um vasto portfólio de serviços, que inclui a Gestão Integrada — Supply Chain Management, Projetos EPC e Trading.

De acordo com o especialista, “o despacho aduaneiro sofreu grandes mudanças de atuação no decorrer dos anos, tanto em sua operacionalidade, quanto em relação ao trabalho realizado pelo profissional da área”.

Vale lembrar que a atividade é um processo obrigatório, exigido pela Receita Federal, para exportar ou importar qualquer tipo de produto ou bem. Sendo assim, ela se configura como um dos pontos centrais do comércio exterior, porque cumpre um papel de fiscalização e conferência dos itens, tornando padronizado o desembaraço de mercadorias em saídas e entradas de diferentes países.

Se levarmos em consideração os tempos atuais, apenas, “em relação à operacionalidade, a prática não perdeu a importância, mas ganhou alguns facilitadores capazes de desburocratizar procedimentos e atuações, para o despachante e para o próprio importador/exportador”, observa Julien.

Apesar disso, o despacho aduaneiro continua sendo fundamental para o perfeito cumprimento das etapas necessárias, atendendo às exigências do próprio processo e contribuindo, inclusive, para o crescimento das empresas importadoras e exportadoras do Brasil.

Quais são as mudanças mais notáveis do despacho aduaneiro?

Julien chama atenção para a evolução traçada pelos profissionais que atuam com o despacho aduaneiro, porque eles deixaram de ser somente desembaraçadores. “Hoje, se faz necessário reunir conhecimentos referentes à cadeia de serviço dos clientes como um todo — dos procedimentos iniciais (cadastros) às necessidades específicas para entrega e armazenamento da carga, por exemplo”, explica.

Portanto, na prática, quem trabalha na área passou a ser um consultor em logística aduaneira com conhecimentos técnicos e sólidos a respeito das operações que serão executadas. De maneira ampla, essa é uma das tendências que diz bastante sobre o futuro da atividade.

“Todas essas mudanças, é oportuno frisar, ocorreram em função da movimentação que acontece no próprio mercado, porque as empresas que importam e/ou exportam estão inseridas em um mercado cuja concorrência é global”, afirma Julien.

Além disso, a própria legislação aduaneira, responsável pela disposição das obrigatoriedades e da respectiva fiscalização, estabelece uma séria de obrigações acessórias, contábeis e operacionais que exigem muito desse profissional, que precisa ser cada vez mais consultor e analítico.

A informatização e a automatização de processos, por sua vez, promoveram verdadeiras revoluções nesse sentido, porque conectaram os envolvidos, aproximando-os ainda mais. Os avanços trazidos pela documentação eletrônica, por exemplo, facilitaram diversas etapas e eliminaram gargalos significativos, como o preenchimento repetitivo dos mesmos dados para um único procedimento, e o objetivo por trás desses recursos é um só: agilizar a conclusão do desembaraço.

Quais são as principais demandas do setor na atualidade?

“Atualmente, o setor demanda um aprimoramento das atividades ligadas ao despacho aduaneiro, de modo que os profissionais e as empresas da área possam acompanhar a desburocratização e a centralização de informações”, aponta Julien. Tais implementações são condizentes com o desenvolvimento tecnológico dos sistemas de controle e análise dos órgãos anuentes, que aconteceram nos últimos anos.

Consequentemente, o enfoque do despacho está saindo da ideia de penalizações e preenchimento de informações, direcionando-se para economicidade e celeridade nas operações brasileiras de comércio exterior — o objetivo é ganhar competitividade no cenário internacional.

Os Estados Unidos, por exemplo, conseguiram empregar seu idioma, sua moeda e sua própria forma de operar nas relações comerciais ao redor do mundo, tornando-se referência no mercado. Para que isso saia da teoria e se manifeste na prática, é necessário contar com boas ferramentas de comércio exterior: elas devem ser eficientes e simplificadas.


Quais são as grandes tendências do despacho aduaneiro em 2019?

Segundo Julien, devemos ter atenção a 4 tendências marcantes, que serão predominantes não só no ano de 2019, mas também nos próximos. São elas:

- novas tecnologias;
-  maior produtividade;
- ingresso de novas empresas no setor;
- menor complexidade para fazer negócios.

É válido destacar que produzir mais em menos tempo é um ganho associado à utilização das novas tecnologias, ao passo que o ingresso de novas organizações tende a aumentar o número de negócios fechados. O investimento em inteligência e análise de dados será determinante daqui para frente.

A partir da digitalização, por exemplo, uma série de processos fica bem mais ágil, tendo em vista que o armazenamento e o trato desse tipo de documentação são feitos com rapidez. Com a união dos sistemas de automação e da inteligência artificial, é provável que os profissionais da área gastem menos horas de seus dias de trabalho com demandas operacionais — o que vai ao encontro àquilo que foi mencionado por Julien nos tópicos anteriores.

A integração dos órgãos públicos e entidades reguladoras do setor no Portal Único de Comércio Exterior (Siscomex) é um indício da centralização e da digitalização das informações a fim de evitar duplicidades e outros equívocos. A ferramenta tem a missão de deixar a busca de detalhes mais amigável para os usuários, com isso, amplia-se consideravelmente a eficácia dos rastreamentos.

É fato que o futuro também trará consigo uma porção de desafios. Contudo, ao analisar as tendências do despacho aduaneiro, é inegável que as oportunidades serão grandiosas e deixarão o setor ainda mais forte.

Fonte: Wilson Sons Agência

voltar