+

Folder
digital

Notícia

 

12/06/2019
Emissão global de carbono sobe 2% em 2018, recorde em 7 anos, diz BP

As emissões globais de carbono cresceram 2% em 2018, recorde dos últimos sete anos, segundo um relatório anual da empresa britânica BP divulgado nesta terça-feira. O avanço foi impulsionado pelo aumento da demanda por energia no mundo.

De acordo com a BP, a demanda global por energia está alimentando o boom na produção de petróleo e gás, mesmo com os preços mais altos e com a desaceleração do crescimento econômico. Assim, a demanda mundial por energia cresceu 2,9% em 2018, a maior taxa desde 2010.

O clima incomum estimulou parte do crescimento mais forte do que o esperado da demanda, já que um número maior de dias extremamente quentes e frios aumentou o uso de ar condicionado e aquecedores, principalmente na China, nos EUA e na Rússia.

O relatório aponta que o gás natural dominou o crescimento energético de 2018, respondendo por quase metade do crescimento total da demanda. A demanda por gás natural subiu 5,3%, enquanto o mundo continua a caminhar em direção a fontes de energia mais limpas, em parte devido a preocupações ambientais.

Nos EUA, cerca de metade do aumento da demanda por gás veio do setor de energia, segundo o economista-chefe da BP, Spencer Dale. "O crescimento da demanda de gás nos EUA no ano passado é aproximadamente equivalente a todo o consumo de gás do Reino Unido", disse.

A China também registrou um crescimento excepcional, com o consumo de gás subindo 18%, segundo o relatório. O governo chinês tem se esforçado para abandonar o carvão em troca do gás devido a preocupações com a qualidade do ar, resultando em um aumento de um terço no consumo de gás no país nos últimos dois anos.

A demanda por energia renovável, incluindo eólica e solar, aumentou 14,5% no ano passado. No entanto, isso ficou abaixo do ritmo médio anual da década passada, de 16,4%.

A energia renovável foi responsável por cerca de 4% do mix energético global em 2018, muito ofuscada pelos 85% dos combustíveis fósseis, embora os dados mostrem que o petróleo e o carvão estão lentamente perdendo terreno para as energias renováveis e o gás natural.

A demanda global por petróleo e carvão também cresceu em 2018, embora a taxas mais lentas do que as do gás. A demanda por petróleo cresceu 1,5%, enquanto o consumo de carvão subiu 1,4%, segundo a BP.

Fonte: Valor

voltar