+

Folder
digital

Notícia

 

17/05/2019
Banco Central retira o Brasil do CCR

No dia 3 de abril de 2019, o Banco Central do Brasil (Bacen) anunciou a saída do país do Convênio de Crédito Recíprocos (CCR), instrumento de compensação quadrimestral de exportações e importações da Associação Latino-Americana de Integração (Aladi).

O disposto na Circular nº 3.934, que passou a vigorar em 15 de abril de 2019, proíbe o registro de novas emissões no CCR. Porém, a autoridade monetária brasileira afirmou que "serão preservadas as garantias de pagamento vinculadas a instrumentos já registrados no sistema".

Da mesma forma, o Bacen informou que permanece "submetido ao Protocolo para Solução de Controvérsias entre Bancos Centrais Participantes do Convênio de Pagamentos e Créditos Recíprocos da Aladi".

O Bacen justificou a decisão pela baixa utilização do mecanismo, a exposição do setor público à riscos privados e a retomada da inadimplência, especialmente da Venezuela, a partir de 2017. A exposição completa de motivos da autarquia pode ser consultada aqui.

O CCR surgiu como um instrumento de facilitação de comércio entre os 13 países membros da Aladi, no começo da década de 1980. O objetivo era diminuir as trocas de dólares entre os membros, que enfrentavam problemas cambiais à época, sem afetar o fluxo comercial intra-bloco. Por meio do Convênio, os bancos centrais compensam as trocas comerciais entre si a cada quatro meses.


Fonte: Fiesp / Ciesp

voltar