+

Folder
digital

Notícia

 

16/12/2020
Terminais portuários da Codeba serão leiloados sexta-feira

O Ministério da Infraestrutura, realiza, na sexta-feira (18), em São Paulo, o leilão de dois terminais da Codeba – ATU12 e ATU18, no Porto de Aratu-Candeias. Os arrendamentos devem render investimentos de R$ 363 milhões. As áreas ultrapassam os 200 mil metros quadrados. Só em granéis sólidos - principalmente soja – a projeção é triplicar a movimentação, a partir de 2024. Ao fim do contrato, a estimativa é movimentar 10 milhões de toneladas/ano.

O projeto prevê a implantação de equipamentos e edificações para desembarque, embarque e armazenagem. Os terminais vão atender às demandas da produção agrícola da região chamada de Matopiba: formada pelos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia.

Projeto ATU12 (brownfield) – destinado à movimentação de granéis sólidos, principalmente fertilizantes, concentrado de cobre, coque de petróleo e minérios diversos, com destaque para o minério de ferro. São aproximadamente 160 mil m², com expectativa de movimentação média de 2 milhões de toneladas/ano. O prazo do contrato é de 25 anos.

Projeto ATU 18 (greenfield) – destinado à movimentação de granéis sólidos vegetais - grão de soja, farelo de soja, trigo e malte. Área de 51.6 mil m². O prazo do contrato é de 15 anos, projetado para movimentar 8 milhões de toneladas/ano, ao fim do contrato.

O diretor-presidente da Codeba, Carlos Autran, responsável pela gestão do complexo portuário formado por Aratu, Salvador e Ilhéus, destaca a necessidade de ampliação e investimento nas áreas portuárias para atender demandas reprimidas e, principalmente, demandas futuras geradas pelo crescimento do país. “O Brasil está avançando economicamente. Batendo recordes na produção de soja. É um momento estratégico para capacitar as estruturas portuárias”, explica.

A gestão dos terminais se dará nos mesmos moldes do que já ocorre no Porto de Salvador com a Tecon – Wilson,Sons, operadora portuária de carga e descarga de contêiners, e a Intermaritma Portos e Logística S/A.

Fonte: Ascom-Codeba

voltar