+

Folder
digital

Notícia

 

21/08/2020
Beirute, Mucuripe e Pecém

A tragédia de Beirute acendeu a tensão sobre o porto do Mucuripe, em Fortaleza, onde milhares de pessoas habitam no entorno de um parque de tancagem; há um ano foi escolhida a empresa que fará a tancagem no Pecém, mas até hoje o parque não saiu

Fortaleza - A tragédia de Beirute acendeu a tensão sobre o porto do Mucuripe, em Fortaleza, onde milhares de pessoas habitam no entorno de um parque de tancagem. Em verdade, há um arcabouço normativo para manuseio e armazenagem de produtos perigosos. Tanto Mucuripe como Pecém - o porto estadual operado em joint venture com a holandesa Port of Rotterdam - observam bem o normativo e os protocolos, o que confere segurança operacional.

Mas a proximidade da tancagem com a área urbana torna indefensável manter ali, embora a Companhia Docas lute para manter uma parte, vedando parte do vazamento da receita. Enquanto isso, no último dia 13 completou um ano o anúncio da holandesa Vopak como vencedora da licitação para fazer planejamento, implantação e operação do novo parque de tancagem e do Retroporto no Pecém. Ela já atua em Santos.

Fonte: O Povo

voltar