+

Folder
digital

Notícia

 

21/07/2020
Espigões: veja como devem ficar os equipamentos após as obras; edital é lançado

A Prefeitura de Fortaleza lançou o edital de licitação dos espigões localizados nas avenidas Desembargador Moreira e Rui Barbosa. As empresas interessadas na concessão dos equipamentos devem encaminhar as propostas no dia 21 de agosto, entre 10h e 10h15min. Após esse horário, haverá abertura dos envelopes com as propostas.

Segundo o edital, o valor estimado da outorga, a ser pago pela empresa durante o período de concessão, é de mais de R$ 4,1 milhões. O tempo de concessão será de 18 anos que poderá ser prorrogado. No entanto, o documento não especifica por quanto mais tempo seria prorrogada a concessão.

Além disso, o edital traz um programa referencial que é base para o modelo que os espigões deverão ter a partir da concessão. De acordo com o documento, os espigões deverão ter espaços comerciais, cabendo à empresa administradora dos equipamentos a gestão do mix de negócios a ser implantado.    

    "Entende-se que a criação de espaços multiuso, no formato de Open Malls, ou shoppings a céu aberto, podem perfeitamente atender aos interesses levantados e a manter a agilidade, qualidade e funcionalidade das operações. Partindo desse modelo, indicamos as seguintes atividades a serem implantadas, adequadas ao modelo proposto", informa o edital.

Lojas e restaurantes
Segundo o documento, os estabelecimentos poderão comercializar óculos de sol, lembranças turísticas, itens de artesanato, artigos esportivos, moda praia, assessórios, sorvetes, açaí, cachorro quente, sucos naturais. Além disso, haverá lojas para venda de pacotes turísticos, fotografias, aulas de yoga, massagens terapêuticas, entre outros serviços.

O edital informa que essas estruturas de maior porte terão serviços de cozinha e bar especializados e com capacidade de atendimento em mesas e com ar condicionado.

    "Considerando o grande fluxo de público esperado em ambos espigões e o nível de serviço que será oferecido em suas estruturas, entendemos haver uma oportunidade de inserções de espaços estratégicos para veiculação de espaços publicitários por meio de painéis, TVs e mídias customizadas".

Ainda está prevista a realização de eventos, como desfiles, exposições de arte, lançamento de produtos, festas de casamento, festas de final de ano. "Esta utilização, apesar de não diária e constante, pode ser uma fonte de receitas acessórias importante que ajudarão a custear as operações, além de servirem de atrativo para aumentar a visitação às estruturas", informa o documento.

Paisagismo
Os espigões também serão dotados de placas fotovoltaicas distribuída em módulos operacionais. "Estas placas poderão ser instaladas nas coberturas dos containers que formam os pavimentos superiores, captando através das placas energia solar, e sendo responsáveis por reduzir o consumo de energia fornecido pelas concessionárias.

Portanto, desta forma o projeto utilizar-se-á o máximo possível de uma alternativa limpa de energia e viável para contribuir com a redução dos índices de poluição e também de desmatamento ou recursos naturais".

O edital também traz projeto de utilização de árvores ao longo dos espigões, formando espaços de sombra. "O paisagismo é composto por vegetação típica da região, resistentes ao vento, como plantas de pequeno e médio porte distribuídas ao longo do espigão que se entrelaçam aos containers, criando diversas áreas de sombras para a amenização da incidência solar tornando o passeio no espigão mais agradável e atrativo", diz o documento.

O edital reforça ainda que a obra dos espigões será limpa e rápida pois haverá pouca construção a ser utilizada. "Os principais equipamentos utilizados para compor os empreendimentos são containers que são unidades móveis que já vêm prontas apenas para ser implantada no local desejado".

No projeto referencial, propõe-se a instalação de 22 unidades comerciais, ao longo dos dois espigões, que são compostas por quatro containers de 12 metros de comprimento e 2,44 metros de largura, cada. "Os containers são fixados entre si de forma a proporcionar a melhor utilização possível para realizações de operações voltadas ao entretenimento e lazer. Suas sobreposições proporcionam espaços ideais para a colocação de mesas, instalação de bancadas de atendimento, cozinha com área pra preparo e limpeza, depósito e banheiro acessível".

Fases
O documento traz ainda o faseamento das obras até o início da operação. Segundo o edital, os prazos a serem atendidos pela concessionária para finalização do projeto, licenças, construção e início da exploração comercial dos espigões constituem em:

    Fase I – Elaboração dos projetos executivos;
    Fase II – Licenciamento dos projetos e obras;
    Fase III – Construção;
    Fase IV – Entrega e Licenciamento da operação;
    Fase V - Início e desenvolvimento da operação.


Fonte: Diário do Nordeste

voltar