+

Folder
digital

Notícia

 

20/07/2020
Governo prevê mais três fases especiais para retomada da economia

Com a meta de decidir ainda nesta semana novas estratégias para o retorno de atividades que não puderam voltar com o início da fase 4 do Plano de Retomada Responsável das Atividades Econômicas e Comportamentais em Fortaleza hoje, o Governo do Ceará trabalha com a hipótese de incluir mais três fases especiais no plano. Elas agregariam os segmentos que ainda não foram autorizados a reabrir - o que inclui aulas presenciais, academias, bares, eventos e cinemas -, mas ainda não há nada fechado.

A informação é de Flávio Ataliba, secretário executivo de Planejamento e Orçamento da Secretaria de Planejamento e Gestão do Ceará (Seplag). "Nós estamos pensando em três fases em que cada uma dessas atividades seja contemplada em uma delas. Um pouco de tudo em cada fase, mas isso está sendo discutido ainda. A primeira fase começaria com parte das academias, número restrito de bares, alguns eventos e algumas séries de escolas, por exemplo", revela o secretário.

Ele explica que as novas fases não são a continuação do plano. "Inclusive porque muitas dessas atividades já estão funcionando como as escolas com aulas a distância", explica Ataliba, destacando que as novas etapas têm como objetivo evitar uma segunda onda da Covid-19.

Segundo ele, nenhuma decisão a respeito do assunto foi tomada ainda e o Governo do Estado volta a sentar na mesa com representantes desses setores a partir de hoje, começando com uma nova reunião com a área educacional à tarde.
Aulas presenciais

"O faseamento se daria em três fases, mas posso adiantar que aquelas séries de final de etapa - como 3º ano do Ensino Médio e 5º ano do Ensino Fundamental 1 - venham primeiro. Isso já é um alinhamento. Os representantes acham que essas séries voltam logo. Os anos finais já voltariam na primeira fase", acrescenta.

O secretário ainda diz ser provável que o Ensino Fundamental 2 (do 6º ao 9º ano) deva voltar na segunda fase, com o Ensino Superior completando a terceira fase. "Talvez isso aconteça na segunda fase. Estamos em negociação e colocando as possibilidades, mas já existe um certo consenso. O Ensino Superior e de Pós-graduação, como estão funcionando, de certa forma, com o Ensino à Distância (EAD), voltam por último. Isso está sendo discutido com os reitores, e estamos no desenho", diz o secretário.

Ataliba acrescenta que a partir de hoje as discussões devem se concentrar em dois aspectos: quando volta e quando tem início a primeira fase.

"É importante neste momento você ter uma data, porque ela dá uma previsibilidade para as pessoas. O segundo ponto é quanto tempo teríamos de uma fase para outra? Catorze dias ou sete dias? Estamos neste processo de discussão e eu acho que podemos ter isso nesta segunda-feira".

Outras atividades

Além da educação, o Governo do Estado também pretende definir nesta semana um calendário de eventos permitidos em Fortaleza. "Uma proposta é termos um calendário dos eventos a serem permitidos. Vamos avaliar o pacote de que está sendo sugerido. Vamos ver o que pode vir no começo e depois. Ficamos de na terça-feira (21) conversar com eles sobre essa triagem de eventos, fazer um levantamento e escalonar quais teriam menos riscos sanitários", aponta Ataliba.

Ele aponta ainda que o Estado também está dialogando com representantes do setor de educação física. "Conversamos com eles na quinta-feira (16). Eles têm uma proposta de iniciarem com 30% da capacidade das academias, 30% dos alunos. Foi uma proposta colocada por eles e vamos voltar a conversar e ver essa estratégia na sequência de retornos", pondera.

Com o segmento de bares, também já houve discussão sobre o retorno. "A partir da dinâmica dos restaurantes à noite, a gente já pode voltar inicialmente com os bares, que é uma atividade que aglomera muito e é recreativa, envolve show, bebida e acaba desconcentrando o cliente no protocolo. Então, é muito importante analisarmos isso tudo".

Ataliba reitera que os próximos passos precisam ser dados com cautela para evitar um retrocesso no plano e, consequentemente, mais suspensão de atividades. "Se tivermos um repique (de casos de Covid-19) e formos obrigados a fechar as atividades econômicas novamente, o impacto disso no setor produtivo vai ser imenso, porque as empresas já estão debilitadas. Muitas já faliram e as que estão retomando voltam com capital de terceiros. A demanda não voltou na velocidade que a gente queria", aponta.

"Nós queremos nessa nova estratégia ser mais cirúrgico. Essa é a estratégia que estamos pensando em adotar nessas novas fases de flexibilização. Não é apenas a reabertura. É observarmos onde poderemos ter picos de contágio e mapear com mais clareza por onde o vírus se espalha", justifica.

Fase 4

Com a entrada de Fortaleza na fase 4 do Plano de Retomada das Atividades hoje (20), o avanço dos municípios da Macrorregião de Fortaleza para a fase 3, da Macrorregião Norte na fase 1 e a permanência do Sertão Central e Litoral Leste/Jaguaribe nesta etapa, cerca de 95% da economia está liberada a partir desta segunda-feira.

De acordo com Ataliba, pelos cálculos do Governo do Estado em torno de 95% dos empregos formais também estão liberados a partir de hoje. Pelo plano de retomada das atividades inicial, mais de 550 mil trabalhadores voltariam aos seus empregos.

"É difícil você ter essa informação por atividade específica. Talvez tenhamos 95% dos empregos formais liberados. Mesmo na parte das escolas e universidades, as pessoas estão trabalhando on-line. Muitas empresas, mesmo liberadas, aguardam um pouco para funcionar. Por isso essa nossa dificuldade em ter um número certo".

O decreto que regulamenta a fase 4 na Capital, publicado no sábado (18), prevê ainda a liberação de cinemas drive in - quando se assiste filmes dentro dos carros. O documento estabelece ainda que os restaurantes poderão funcionar das 6h às 23h e as barracas de praia, entre as 9h e às 16h. Contudo, a capacidade total dos estabelecimentos deve ser de até 50%.

Fonte: Diário do Nordeste

voltar